Revista Direito Tributário Atual https://revista.ibdt.org.br/index.php/RDTA <p>A <em>Revista Direito Tributário Atual – RDTA</em> publica <em>artigos de caráter científico permanente,</em> preferencialmente voltados para temas da atualidade, na área do Direito Tributário, admitida a interdisciplinaridade com áreas do conhecimento (jurídicas ou não) afins à problemática jurídica tributária. Não serão aceitos trabalhos como pareceres ou monografias de especialização sem a necessária adaptação; nem os que tragam excesso de transcrições (que, de maneira geral devem ser evitadas) ou de notas de rodapé.</p> <p>A <em>Revista Direito Tributário Atual</em> pretende estimular os autores a produzir trabalhos de qualidade científica, que contribuam para o debate acadêmico, aqueles que podem ser ditos instigantes, que acrescentem algo, que não sejam meras repetições. Isso significa que a Revista pretende ser autêntico incentivo e nunca motivo de desânimo aos que pretendam colaborar para a RDTA. A eventual rejeição de artigos pelo Conselho Científico espera ser vista como estímulo ao crescimento.</p> Instituto Brasileiro de Direito Tributário pt-BR Revista Direito Tributário Atual 1415-8124 <p>O autor (ou coautor) declara que o artigo submetido à avaliação, que segue em anexo, é de sua autoria, e inédito, comprometendo-se a não publicar este artigo em qualquer outro meio, impresso ou digital, mantendo a exclusividade para a Revista Direito Tributário Internacional Atual, cedendo, em caso de aprovação do trabalho, os direitos autorais à Revista para fins de publicação do trabalho nesta edição.</p> To Split or not to Split: o Split Payment como Mecanismo de Recolhimento de IVA e seus Potenciais Impactos no Brasil https://revista.ibdt.org.br/index.php/RDTA/article/view/2139 <p>O Split Payment consiste em uma sistemática a partir da qual, quando do pagamento pela aquisição do bem ou serviço, o valor referente ao tributo é financeiramente destinado à liquidação da obrigação tributária, não sendo entregue ao fornecedor do bem ou serviço (contribuinte) que realiza o respectivo fato gerador. Sua previsão consta das principais propostas de emenda constitucional de reforma tributária, mas a experiência internacional demanda cautelas para sua implantação. Em especial, deverão ser observados o impacto no fluxo de caixa das empresas e a adoção de mecanismos eficazes de restituição dos valores pagos a maior.</p> Alexandre Alkmim Teixeira Copyright (c) 2022 ALEXANDRE ALKMIM TEIXEIRA https://creativecommons.org/licenses/by-nc-sa/4.0 2022-04-27 2022-04-27 50 27 46 Tradição Crítica no Direito Tributário https://revista.ibdt.org.br/index.php/RDTA/article/view/2145 <p>Existe uma importante tradição de pensamento crítico no Direito Tributário brasileiro. Ela consiste no hábito de avaliar criticamente as propostas teóricas mediante o exame de seus pressupostos, seus argumentos, suas evidências e suas conclusões, o que pode culminar com o aprimoramento da teoria criticada, pela correção de seus erros, ou em seu abandono, quando sua falsidade é demonstrada. Ao mesmo tempo, porém, a doutrina tributarista também convive com formas de contornar ou neutralizar o procedimento crítico. Este artigo, por meio de exemplos, explica a tradição crítica no direito tributário, enaltecendo-a, e as formas de reações a essa tradição, oferecendo alternativas para evitá-la.</p> André Folloni Copyright (c) 2022 André Parmo Folloni https://creativecommons.org/licenses/by-nc-sa/4.0 2022-04-27 2022-04-27 50 47 59 A Base de Cálculo do IPTU e sua Fixação por Decretos https://revista.ibdt.org.br/index.php/RDTA/article/view/2162 <p>O presente artigo investiga se é legítimo que o Poder Executivo municipal veicule plantas de valores anuais fixando a base de cálculo do IPTU, pautando-se por critérios previstos em lei, de modo a manter o valor dos imóveis sempre atualizado com o mercado – ainda que isso signifique elevar o preço-parâmetro acima da inflação. O enfrentamento desse problema será realizado: (i) por meio da análise teórica do princípio da legalidade tributária material e dos estados ideais cuja realização ele busca promover (previsibilidade, mensurabilidade e determinabilidade); e (ii) por meio da análise da jurisprudência do Supremo Tribunal Federal a respeito da legitimidade de leis municipais que deleguem ao Executivo a atualização da base de cálculo do IPTU. A conclusão será pela validade do instrumento infralegal para a aludida fixação de valores, desde que a lei contenha critérios precisos e específicos para a avaliação dos imóveis pelo Executivo.</p> André Mendes Moreira Copyright (c) 2022 André Mendes Moreira https://creativecommons.org/licenses/by-nc-sa/4.0 2022-04-27 2022-04-27 50 60 75 A Aplicabilidade da Prescrição Intercorrente da Lei n. 9.873/1999 às Multas Aduaneiras https://revista.ibdt.org.br/index.php/RDTA/article/view/1159 <p>O presente artigo busca analisar a aplicabilidade da prescrição intercorrente estabelecida na Lei n. 9.873/1999 às multas aduaneiras sob julgamento no Conselho Administrativo de Recursos Fiscais. Para tanto, inicialmente será demonstrada a inaplicabilidade da Súmula n. 11 daquele tribunal às multas aduaneiras. Na sequência, será abordado o conteúdo normativo da Lei n. 9.873/1999 e o entendimento do Superior Tribunal de Justiça à respeito. Por fim, serão enfrentados todos os argumentos em sentido contrário, que surgiram ao longo do debate, demonstrando a inexistência de razões jurídicas subsistentes contrárias ao reconhecimento de tal prescrição, para apresentar a diferença entre a jurisprudência judicial e administrativa sobre o tema.</p> Carlos Augusto Daniel Neto Diego Diniz Ribeiro Copyright (c) 2022 Carlos Augusto Daniel Neto, Diego Diniz https://creativecommons.org/licenses/by-nc-sa/4.0 2022-04-27 2022-04-27 50 76 111 A Cooperação Social na Perspectiva de John Rawls e a Busca por um Novo Modelo para as Relações entre Fisco e Contribuintes https://revista.ibdt.org.br/index.php/RDTA/article/view/2133 <p>A noção de contrato social, embora de matizes variados, permeia a formação da concepção moderna do Estado. A sua persistência no debate público contemporâneo indica a dificuldade de dissociação da ideia de contrato original do fundamento de legitimidade do Estado, cuja manutenção é realizada primordialmente pela tributação, que representa a transferência de parcela da propriedade privada para o patrimônio público. O Estado, enquanto condição de existência e efetividade de direitos individuais, depende da tributação para atingimento das finalidades públicas. Apesar disso, as relações entre fisco e contribuintes são marcadas por intensa litigiosidade no Brasil, o que prejudica a eficiência e a justiça do sistema tributário, em detrimento dos interesses de ambos os sujeitos da relação tributária. A partir da tradição contratualista, a teoria de John Rawls estabelece a ideia de sociedade enquanto sistema equitativo de cooperação, fornecendo elementos para o desenvolvimento de modelos institucionais para a relação entre fisco e contribuintes em bases cooperativas. A análise dos princípios de justiça elencados pelo autor como aplicáveis à estrutura básica da sociedade permite concluir que o Estado deve favorecer a cooperação nas relações com os sujeitos passivos da relação tributária, com assunção de feição responsiva pela administração tributária, em busca do incremento da colaboração dos obrigados tributários no cumprimento dos seus deveres e do atingimento máximo dos fins da tributação.</p> Davi Cozzi do Amaral Paulo Rosenblatt Copyright (c) 2022 Paulo Rosenblatt, Davi Cozzi do Amaral https://creativecommons.org/licenses/by-nc-sa/4.0 2022-04-27 2022-04-27 50 112 132 Solidariedade por Interesse Comum (Art. 124, Inciso I, do CTN) https://revista.ibdt.org.br/index.php/RDTA/article/view/2143 <p>Por meio deste artigo, a autora analisará trabalhos de Rubens Gomes de Sousa preparatórios do projeto de lei que deu origem ao CTN. O trabalho buscará demonstrar que a intenção de Gomes de Sousa, ao propor a regra de solidariedade fundada em interesse comum (art. 124, inciso I) não converge integralmente com a interpretação literal, sistemática e finalística da norma. O artigo concluirá que a solidariedade por interesse comum pode abranger ou uma pluralidade de contribuintes, ou uma pluralidade de responsáveis tributários.</p> Fabiana Carsoni Fernandes Copyright (c) 2022 Fabiana Carsoni Fernandes https://creativecommons.org/licenses/by-nc-sa/4.0 2022-04-27 2022-04-27 50 133 160 Comprovação de Fatos no Direito Tributário https://revista.ibdt.org.br/index.php/RDTA/article/view/1261 <p>As provas lidam com raciocínios indutivos acerca dos fatos relevantes para o direito. Dizer que um fato está juridicamente comprovado significa reconhecer a força do raciocínio jurídico realizado sobre as premissas que suportam essa conclusão. As categorias estudadas pela teoria da prova, apoiadas na epistemologia e na teoria geral do direito, podem contribuir para a evolução do estudo da comprovação de fatos no direito tributário. O presente trabalho busca sistematizar essas contribuições teóricas, seja do ponto de vista dos fatos que devem ser provados no direito tributário, seja do ponto de vista da valoração probatória em processos tributários, com base em critérios racionais que tornem consistentes os raciocínios inferenciais no lançamento tributário.</p> Heron Charneski Copyright (c) 2022 Heron Charneski https://creativecommons.org/licenses/by-nc-sa/4.0 2022-04-27 2022-04-27 50 161 182 Regras de Competência e a Textura Aberta da Linguagem Natural https://revista.ibdt.org.br/index.php/RDTA/article/view/2148 <p>Na literatura do Direito Tributário no Brasil, o dissenso entre os que consideram serem as normas de competência veiculadas por intermédio de palavras utilizadas como tipos, ou como conceitos, é semelhante ao estabelecido nos anos 1960 na Argentina entre Genaro Carrió e Sebastian Soler, relativamente ao qual a razão assistia ao primeiro. A textura aberta da linguagem, e a impossibilidade de um ajuste perfeito das realidades às palavras que as designam, remetem à conclusão de que todas as palavras, contidas em normas de competência ou não, à exceção das que se reportam a realidades matemáticas ideais, têm o seu significado determinado como tipos. Mas daí não se deve incorrer na falsa dicotomia de que, como consequência, inexistem normas porquanto seria total o arbítrio do intérprete na tarefa de lhes atribuir significado. O contexto determina esse sentido, fornecendo informações capazes de eliminar vaguidade e ambiguidade presentes em todas as palavras consideradas em abstrato. No caso das normas de competência tributária, por exemplo, há fatores contextuais como o contraste delas com outras normas de competência, com as quais não se devem sobrepor, bem como a observação dos debates constituintes e dos tributos que os antecederam, em textos constitucionais revogados, que permitem uma mais precisa atribuição de significado aos termos que as veiculam.</p> Hugo de Brito Machado Segundo Copyright (c) 2022 Hugo de Brito Machado Segundo https://creativecommons.org/licenses/by-nc-sa/4.0 2022-04-27 2022-04-27 50 183 199 Fato Presuntivo do Fato Gerador https://revista.ibdt.org.br/index.php/RDTA/article/view/2134 <p>Este artigo examina a categoria do “fato presuntivo do fato gerador da obrigação tributária”, isto é, aquele fato cuja ocorrência normalmente está vinculada à ocorrência do fato gerador da obrigação tributária. Por meio da demonstração de que a expressão “fato gerador”, empregada pelo Código Tributário Nacional, é polissêmica, isto é, exprime um significado lexical com dois ou mais sentidos relacionados, constata-se que a expressão “fato gerador” é empregada com três sentidos relacionados, diversos: “hipótese de incidência da regra de tributação”, “fato gerador da obrigação tributária” e “fato presuntivo do fato gerador da obrigação tributária”. Este fato exprime uma presunção baseada em máximas da experiência e não pode ser confundido com o verdadeiro fato gerador da obrigação tributária, já que ele apenas indica que a sua ocorrência normalmente está vinculada à ocorrência do fato gerador da obrigação tributária.</p> Humberto Ávila Copyright (c) 2022 Humberto Ávila https://creativecommons.org/licenses/by-nc-sa/4.0 2022-04-27 2022-04-27 50 200 214 Afinal, pode um Condomínio ser Contribuinte do IRPJ? https://revista.ibdt.org.br/index.php/RDTA/article/view/2140 <p>Este artigo tem como objetivo avaliar a possibilidade de um condomínio pro indiviso ser tratado como contribuinte do imposto de renda das pessoas jurídicas – IRPJ. Mais especificamente, avaliaremos se a exploração econômica do imóvel pelos condomínios (por exemplo, por meio da criação de um shopping center) pode caracterizar a existência de uma sociedade em comum ou configurar uma unidade econômica sujeita ao tratamento tributário conferido às pessoas jurídicas. Para tanto, abordaremos os aspectos teóricos relacionados à sujeição passiva do IRPJ e às definições de condomínio e de sociedade em comum. Em seguida, analisaremos julgados administrativos que lidaram com essa matéria, de modo a demostrar que determinadas questões não vêm sendo devidamente exploradas nas discussões atuais sobre o tema, especialmente quanto ao papel do art. 126 do Código Tributário Nacional.</p> João Francisco Bianco Diogo Olm Ferreira Copyright (c) 2022 João Francisco Bianco, Diogo Olm Ferreira https://creativecommons.org/licenses/by-nc-sa/4.0 2022-04-27 2022-04-27 50 215 249 A Taxa de Fiscalização do Mercado de Títulos e Valores Mobiliários, seu Efeito Indutor e seus Limites https://revista.ibdt.org.br/index.php/RDTA/article/view/2094 <p>Se a taxa decorrente de poder de polícia deve ser justificada prioritariamente a partir da equivalência (correspondência entre os valores gastos com os serviços de fiscalização e o valor pago pelo contribuinte), a diferenciação no tratamento entre contribuintes prevista na taxa de fiscalização dos mercados de títulos e valores mobiliários (Taxa CVM), cujo valor varia conforme o patrimônio líquido do contribuinte, traz discussão relevante sobre sua constitucionalidade. Com a Medida Provisória n. 1.072, de 2021, e a introdução de efeito indutor para Taxa CVM decorrente do aumento da progressividade, há novos desafios para análise da validade da Taxa. Este artigo examina a Taxa considerando julgados proferidos pelo Supremo Tribunal Federal, buscando evidenciar a existência de limites na utilização extrafiscal da Taxa CVM.</p> Luís Eduardo Schoueri Tiago Luiz de Moura Albuquerque Copyright (c) 2022 Tiago Luiz de Moura Albuquerque, Luís Eduardo Schoueri https://creativecommons.org/licenses/by-nc-sa/4.0 2022-04-27 2022-04-27 50 250 278 A Responsabilidade Tributária por Débitos Lançados após a Dissolução Regular da Sociedade Empresária Limitada https://revista.ibdt.org.br/index.php/RDTA/article/view/2103 <p>Este artigo analisa a responsabilidade tributária do administrador no caso de dissolução regular das sociedades empresárias limitadas, em que há o registro do distrato social e baixa da respectiva inscrição, nos órgãos e repartições públicas competentes. Constatamos que, nesses casos, o Superior Tribunal de Justiça (STJ) considera que o distrato é apenas um dos procedimentos da dissolução de uma sociedade, e, como tal, não tem o condão de pôr fim à sociedade (extingui-la), sem que outros procedimentos, como o da liquidação de haveres, tenham sido regularmente concluídos. Para essa Corte, a simples existência de tributo não pago, ainda que lançado apenas após o registro do distrato, denota que a dissolução se fez sem a liquidação de todos os passivos da sociedade, o que faz presumir que o procedimento foi realizado de forma irregular. Porém, tal posicionamento não é compartilhado pela doutrina, que entende que, diante da constatação de “credores não satisfeitos” – assim qualificados aqueles que reclamam seus créditos apenas após a dissolução da sociedade –, esse procedimento (dissolução) continua a ser regular. O que se tornaria irregular nessa situação seria apenas o procedimento de liquidação de haveres. Dessa forma, surge uma nova situação fática que pode ensejar a responsabilidade tributária de terceiros, e nosso esforço será analisá-la e verificar suas consequências.</p> Mara Eugênia Buonanno Caramico Copyright (c) 2022 MARA EUGÊNIA BUONANNO CARAMICO https://creativecommons.org/licenses/by-nc-sa/4.0 2022-04-27 2022-04-27 50 279 304 Será Mesmo o Tributo uma Restrição a Direitos Fundamentais? https://revista.ibdt.org.br/index.php/RDTA/article/view/2152 <p>O objetivo do artigo é questionar a visão do tributo como uma lei restritiva de direitos fundamentais, proposta recentemente realizada numa tese defendida perante a Faculdade de Direito da Universidade de São Paulo. O artigo argumentará que essa visão do tributo – que é libertária ou libertarista, não propriamente liberal – não se sustenta, seja do ponto de vista das teorias dos direitos fundamentais, seja do ponto de vista da Constituição de 1988. O artigo defenderá também que não se trata somente de uma posição errônea do ponto de vista teórico ou dogmático; trata-se de uma visão que provoca consequências perturbadoras no âmbito da intepretação e da aplicação do direito tributário, conjurando preconceitos (como o caráter odioso do tributo) que já se julgavam definitivamente superados.</p> Marciano Seabra de Godoi João Victor Araújo Dande Copyright (c) 2022 Marciano Seabra de Godoi, João Victor Araújo Dande https://creativecommons.org/licenses/by-nc-sa/4.0 2022-04-27 2022-04-27 50 305 324 O Direito Penal como Instrumento para garantir a Arrecadação Tributária https://revista.ibdt.org.br/index.php/RDTA/article/view/2123 <p>O artigo aborda e critica a utilização do Direito Penal como um instrumento de pressão para o aumento da arrecadação tributária. A análise é feita a partir da discussão proposta na Ação Direta de Inconstitucionalidade n. 4.980, em trâmite no Supremo Tribunal Federal. Por meio dessa ação, a Procuradoria-Geral da República propõe a declaração de inconstitucionalidade do art. 83 da Lei n. 9.430/1996 (na redação dada pela Lei n. 12.350/2010), regra que exige o esgotamento das instâncias administrativas para o envio de representação penal relativamente a alguns crimes contra a ordem tributária e contra a Previdência Social, sob o argumento de que essa confirmação administrativa não seria necessária para os crimes tidos como formais. A pretensão é possibilitar que o Ministério Público ofereça denúncias antes da confirmação administrativa acerca da existência e validade de créditos tributários e previdenciários, quando se tratar de um crime meramente “formal”. Este artigo, portanto, abordará os riscos envolvidos nessa argumentação e a insegurança jurídica que uma possível decisão favorável do Supremo Tribunal Federal geraria no ordenamento jurídico.</p> Martha Leão Raquel Lima Scalcon Copyright (c) 2022 Martha Toribio Leão, Raquel Lima Scalcon https://creativecommons.org/licenses/by-nc-sa/4.0 2022-04-27 2022-04-27 50 325 344 A Família no Direito Tributário https://revista.ibdt.org.br/index.php/RDTA/article/view/2155 <p>O artigo examina o papel da família no Direito Tributário. Parte-se da premissa constitucional de especial proteção da família e suas consequências para o Direito Tributário. Após, verifica-se a diminuição da capacidade contributiva dos membros da família em virtude das despesas necessárias para a manutenção da família e dos filhos. Ainda, defende-se o reconhecimento de um mínimo existencial familiar a ser observado pelo legislador tributário, bem como uma proibição de tratamento discriminatório da família em comparação a casais sem filhos.</p> Pedro Adamy Copyright (c) 2022 Pedro Adamy https://creativecommons.org/licenses/by-nc-sa/4.0 2022-04-27 2022-04-27 50 345 359 Legalidade, Capacidade Contributiva, Praticabilidade e o Deslocamento da Sujeição Passiva Tributária https://revista.ibdt.org.br/index.php/RDTA/article/view/2127 <p>No Estado Social e Democrático de Direito, a tensão entre a legalidade e a capacidade contributiva induz a praticabilidade como técnica de simplificação administrativa, a fim de conjugar a segurança jurídica com a justiça tributária. Em nome da ponderação entre os dois interesses, o ordenamento jurídico, a partir do princípio da proporcionalidade, deve prever cláusula de retorno à igualdade, caso contrário a capacidade contributiva será violada, como ocorre quando o sujeito passivo é impedido de promover a repercussão econômica da base de incidência contributiva que se pretende tributar.</p> Ricardo Lodi Ribeiro Copyright (c) 2022 Ricardo Lodi Ribeiro https://creativecommons.org/licenses/by-nc-sa/4.0 2022-04-27 2022-04-27 50 360 377 Tratamento contábil e tributário aplicável ao reconhecimento de receitas e despesas no âmbito imobiliário https://revista.ibdt.org.br/index.php/RDTA/article/view/2128 Rodrigo Maito da Silveira Copyright (c) 2022 Rodrigo Maito da Silveira https://creativecommons.org/licenses/by-nc-sa/4.0 2022-04-27 2022-04-27 50 378 398 A Origem do Princípio da Tipicidade no Direito Tributário Brasileiro https://revista.ibdt.org.br/index.php/RDTA/article/view/2137 <p>O objetivo deste artigo é analisar as origens das teorias sobre a necessidade de fechamento conceitual dos termos utilizados pelas leis tributárias. A tese que defendemos é de que foi o Professor Português Alberto Xavier quem estruturou esta teoria no Brasil, notadamente a partir de seu livro Os princípios da legalidade e da tipicidade da tributação, publicado no Brasil em 1978.</p> Sergio André Rocha Copyright (c) 2022 Sergio André Rocha https://creativecommons.org/licenses/by-nc-sa/4.0 2022-04-27 2022-04-27 50 399 430 Incongruências entre o Fato Gerador e a Base de Cálculo do IOF em Operações de Crédito Rotativo https://revista.ibdt.org.br/index.php/RDTA/article/view/2153 <p>A legislação atual apresenta um descasamento entre a base de cálculo e os aspectos material e temporal do IOF em operações de crédito rotativo. Não há previsão em lei para a apuração do IOF-crédito por meio do somatório de saldos devedores diários (base de cálculo) e pairam dúvidas sobre a pertinência desta forma de apuração diante de um fato gerador que foi definido com vistas a um ato específico e identificável no tempo, consistente na entrega dos recursos do crédito. O presente artigo enfrenta estas questões, investigando o arcabouço histórico e a evolução do IOF para perquirir as origens e a formação da legislação atual de cobrança deste imposto em operações de crédito rotativo. Apresentam-se as principais modalidades de operações de “crédito rotativo” e os detalhes da discussão com enfoque nos fenômenos da “colocação de recursos à disposição do interessado” e da apuração baseada no somatório de “saldos devedores diários”. Há desdobramentos de ordem prática, pois a presente discussão afeta também o tema da decadência e problemas na aplicação de novas alíquotas.</p> Victor Polizelli Copyright (c) 2022 Victor Polizelli https://creativecommons.org/licenses/by-nc-sa/4.0 2022-04-27 2022-04-27 50 431 464 Carta do Editor https://revista.ibdt.org.br/index.php/RDTA/article/view/2176 Fernando Aurelio Zilveti Copyright (c) 2022 Fernando Aurelio Zilveti https://creativecommons.org/licenses/by-nc-sa/4.0 2022-04-27 2022-04-27 50 9 9 Perdão de Dívida e seus Reflexos Contábeis e Tributários https://revista.ibdt.org.br/index.php/RDTA/article/view/2170 <p>O presente estudo busca apresentar elementos contábeis e tributários que versam sobre os efeitos que o perdão de dívidas tributárias traz aos contribuintes e analisar, também, a utilização de normas contábeis como fundamento para as decisões recentes proferidas no âmbito do Carf e do Poder Judiciário, no sentido de que a adesão aos programas representa o desreconhecimento de um passivo, implicando receita tributável tendo em vista que há incremento patrimonial, independentemente da mensuração do passivo tributário e da natureza da sua eventual redução.</p> Alexsandro Broedel Lopes Gabriela Tuba Copyright (c) 2022 Alexsandro Broedel Lopes, Gabriela Tuba https://creativecommons.org/licenses/by-nc-sa/4.0 2022-04-27 2022-04-27 50 467 476 O Custo Adicional do Compliance Tributário https://revista.ibdt.org.br/index.php/RDTA/article/view/2171 <p>O presente artigo busca demonstrar que, para além das incertezas decorrentes da própria legislação tributária, existem inseguranças relevantes com relação às penalidades aplicáveis aos contribuintes em decorrência do descumprimento de obrigações acessórias, notadamente na interpretação e aplicação das multas da Medida Provisória n. 2.158/2001 e da Lei n. 8.218/1991. Para tanto, o artigo focará no exemplo prático da Escrituração Fiscal Digital das Contribuições Sociais (EFD-Contribuições). Conclui-se que as inúmeras alterações legislativas e, principalmente, interpretativas por parte da Administração Pública, acarretam autuações fiscais em violação à legalidade e à segurança jurídica, como também às garantias de proporcionalidade e não confisco na imposição de multas, em consonância com o entendimento do Supremo Tribunal Federal (STF). Para tanto, adotou-se o método hipotético-dedutivo, por meio de levantamento bibliográfico, legislativo e jurisprudencial.</p> Dora Almeida Michell Przepiorka Jeferson Teodorovicz Copyright (c) 2022 Dora Almeida, Michell Przepiorka, Jeferson Teodorovicz https://creativecommons.org/licenses/by-nc-sa/4.0 2022-04-27 2022-04-27 50 477 501 Tipicidade e Simplicidade no Direito Tributário https://revista.ibdt.org.br/index.php/RDTA/article/view/2172 <p>O artigo analisa a abordagem legislativa do tipo, a tipicidade e simplicidade no direito tributário, especialmente em relação ao imposto de renda. Desafia a legislação tributária e seus limites para simplificar o sistema tributário. O uso do tipo classificatório na determinação da hipótese tributária é uma preocupação científica deste ensaio, no sentido de repensar o sistema. A título de comparação com outros sistemas, recorre à doutrina e à jurisprudência da Alemanha. Testam-se aqui, o limites para a simplicidade no direito tributário, aqui restrita à pesquisa ao imposto de renda.</p> Fernando Aurelio Zilveti Copyright (c) 2022 Fernando Aurelio Zilveti https://creativecommons.org/licenses/by-nc-sa/4.0 2022-04-27 2022-04-27 50 502 521 Progressividade Fiscal do IPTU e Direito à Moradia https://revista.ibdt.org.br/index.php/RDTA/article/view/2173 <p>O artigo tem como objeto de estudo investigar se a progressividade fiscal de IPTU em razão do imóvel constitui medida efetiva para a promoção de uma concretização justa do direito à moradia, de acordo com uma visão rawlsiana de justiça. Para tanto, serão feitas cinco análises principais: (i) da teoria da justiça como equidade de John Rawls, (ii) dos paralelos existentes entre essa teoria e o Neoconstitucionalismo, (iii) do fundamento e conteúdo da progressividade fiscal do IPTU em razão do valor do imóvel, (iv) do conteúdo do direito à moradia enquanto direito fundamental de segunda geração e (v) das relações existentes entre a progressividade fiscal do IPTU em razão do valor do imóvel e o direito à moradia. Ao final, conclui-se pela confirmação da hipótese proposta.</p> José André Wanderley Dantas de Oliveira Felipe Barros Nery Chaves Copyright (c) 2022 José André Wanderley Dantas de Oliveira, Felipe Barros Nery Chaves https://creativecommons.org/licenses/by-nc-sa/4.0 2022-04-27 2022-04-27 50 522 553 Bases de Cálculo do IPTU e do ITBI (e do ITCMD) https://revista.ibdt.org.br/index.php/RDTA/article/view/2174 <p>Segundo o CTN, o imposto de transmissão de bens imobiliários e o imposto sobre a propriedade territorial urbana têm como base de cálculo o valor venal dos bens. Todavia, há que distinguir uma base da outra, o que foi feito em julgado do Superior Tribunal de Justiça e será exposto neste artigo.</p> Ricardo Mariz de Oliveira Copyright (c) 2022 Ricardo Mariz de Oliveira https://creativecommons.org/licenses/by-nc-sa/4.0 2022-04-27 2022-04-27 50 554 568 Competência Tributária: Tipos ou Conceitos? Da Necessidade de um Exame Crítico dos Pensamentos de Misabel Derzi, Luís Eduardo Schoueri e Humberto Ávila https://revista.ibdt.org.br/index.php/RDTA/article/view/2175 <p>O presente estudo discute a temática da competência tributária – se veiculadora de tipos ou conceitos – com foco no estudo das posições doutrinárias de Misabel Derzi, Luís Eduardo Schoueri e Humberto Ávila. Objetiva-se, após a exposição do entendimento dos citados juristas, examinar as referidas posições em perspectiva crítica, apontando-lhes não apenas as divergências quanto às conclusões, mas sobretudo quanto às premissas e o desenvolvimento do raciocínio.</p> Valter de Souza Lobato José Antonino Marinho Neto Copyright (c) 2022 Valter de Souza Lobato, José Antonino Marinho Neto https://creativecommons.org/licenses/by-nc-sa/4.0 2022-04-27 2022-04-27 50 569 591 Quinquagésimo Número da Revista Direito Tributário Atual e o Panorama do Direito Tributário no Brasil https://revista.ibdt.org.br/index.php/RDTA/article/view/2179 Ricardo Mariz de Oliveira Copyright (c) 2022 Ricardo Mariz de Oliveira https://creativecommons.org/licenses/by-nc-sa/4.0 2022-04-27 2022-04-27 50 7 8